Resenha: O Caminho do Louco, de Alex Mandarino

o caminho do louco

Sim, o blog caiu no ostracismo. Acredito que faltava eu ter em mãos um livro realmente bom para ter a motivação de voltar a resenhar. E eis aqui.

O Caminho do Louco é o primeiro título da série Guerras do Tarot, é escrito pelo carioca Alex Mandarino e está sendo lançado pela Avec Editora. Este é o primeiro romance do autor, mas ele não é nenhum novato, já escreveu e publicou contos aqui e lá fora e ainda traduziu grandes nomes como China Miéville e William Gibson, entre outros. Como o especialista que é em literatura fantástica e também conhecer da cena underground das metrópoles, o anúncio deste primeiro livro me deixou ansioso para saber do que ele seria capaz em uma narrativa de fôlego. E não me decepcionei.

A trama envolve segredos milenares, grupos ocultos, passeios por paisagens exóticas e tem em seu centro o brasileiro André Moire, um cara como eu e você, que ao reconhecer o vazio de sua vida, joga tudo pro alto e sai em uma peregrinação pelo mundo. O que este inusitado personagem não esperava é que seria trazido para dentro do Tarot, uma organização com elevados propósitos e uma visão pós-anarquista, como bem definida no livro, onde deve assumir o papel arquetípico do Louco. Em sua viagem definitiva de descobrimento, André conhece outras entidades do grupo, cada uma representando um arcano do Tarot e com características bem pessoais, entre eles o Mago, a Sacerdotisa, a Imperatriz, o Imperador e muitos outros.

Mandarino conseguiu reunir o melhor da literatura de gênero com pitadas de mainstream neste romance de estreia. Enquanto obra fantástica, O Caminho do Louco nos proporciona uma total imersão no mundo criado pelo autor. Temos paisagens deslumbrantes, cenas de ação arrebatadoras, uma galeria de personagens marcantes e o que de melhor um thriller pode oferecer. Em seu lado mainstream, o livro fala diretamente com o leitor, em especial no capítulo em que André se desvincula de sua rotina, apresentando os anseios e desejos de toda uma geração, tão livre tecnologicamente e, ao mesmo tempo, prisioneira de corporações e sistemas que não a representam.

Existe uma forte influência de autores ingleses na obra, notadamente Grant Morrison, Neil Gaiman e Alan Moore. E a eles são pagas homenagens em forma de easter eggs espalhados aqui e acolá. O encontro entre magia e hackers, perseguições em alta velocidade e rituais ao som de beats eletrônicos com certeza vai agradar os aficionados por ficção científica, fantasia e weird fiction em geral na mesmo proporção.

Ainda preciso ressaltar o estilo narrativo, uma vez que o autor foge dos clichês comuns do gênero não apenas na construção da trama, mas também na linguagem e apresentação. Temos capítulos em primeira, segunda e terceira pessoas convivendo de forma harmoniosa. E se você acha que narrativas em segunda pessoa não funcionam, como insistem em te dizer por aí, leiam os capítulos dedicados ao arcano conhecido como o Carro. E tente não cair da cadeira.

Sendo o primeiro volume da série, é claro que muitos segredos ainda estão por se revelar. A fluidez da trama nos conduz rapidamente da primeira à última página e deixa a bem vinda sensação de querer mais deste universo. Para realizar uma apresentação plena de tantos detalhes, o autor se obrigou a, em alguns pontos, ser mais descritivo. Contudo, o que essas passagens nos trazem são informações indispensáveis para a compreensão da trama e são seguidas rapidamente por mais ação e descobertas e, por isso, não pesam na leitura.

Pela originalidade, força e consistência, O Caminho do Louco é uma experiência não apenas divertida, mas que faz pensar e desperta a curiosidade do leitor em vários níveis. De quebra, ainda temos a arte incrível de Fred Rubin ilustrando a obra. Fica aqui minha forte recomendação de leitura.

O livro pode ser adquirido na pré-venda da Saraiva, com um marcador de brinde.

E você pode conhecer mais sobre o autor Alex Mandarino visitando seu site e também dar um mergulho prévio na obra através da página oficial da série Guerras do Tarot.

Para finalizar, o booktrailer do livro, ideal para entrar no clima:

Gostou? Leia o prólogo aqui.

 

Anúncios